Publicidade 261x35

Publicidade
14:55

Opinião Formada

28-08-2016 - 10:50:00

Edersen Lima

Milagreiros oficializam 'conversa'
A dupla composta pelos homens do milagre da multiplicação dos bens, Mecias de Jesus e José Raimundo Rodrigues, o Jota R Jackson, oficializaram, deram 'fato' à série de supostas mensagens trocadas entre eles via WhatsApp, divulgadas sexta-feira passada em grupos do aplicativo e em redes sociais.


Raivoso
Mas exaltado e raivoso, como é de costume quando alguma coisa se refere ao amigo que lhe ensinou como executar o milagre da multiplicação dos bens, Jota R, saiu ameaçando até as pedras soltas do Beiral que sabem bem como a dupla trata essas notícias sobre política, onde sempre são alvos e vítimas de adversários inescrupulosos.


Comportamento estranho
Já Mecias teve uma gravação vazada ou divulgada em que, estranhamente, mesmo se dizendo inocente, em tom choroso, pede 'perdão' a uma pessoa execrada em supostos comentários trocados entre ele e o pupilo Jota R. Estranhamente, porque quem não deve, que é injustiçado, não perde 'perdão' por aquilo que não fez. 


Ação inconsciente?
Ora, ora, ora, como diria aquele astuto político dono de sauna, uma pessoa é atropelada na rua por uma moto, e vem outra e 'pede perdão' a ela por ela ter sido atropelada não por ele, mas por um desatento motoqueiro, é completamente sem sentido. 
Por isso, tem gente que ouviu o áudio em que Mecias pede perdão, e achou que aquilo foi um ato inconsciente de quem, se não comentou nada na suposta conversa, pelo menos, é o que pensa sobre o assunto.


Basta jurar
Análises psicológicas básicas sobre Mecias de Jesus e seu áudio espalhado, pesam ainda mais com o fato dele, para variar, como forma de querer convencer do que afirma, jurar pela sua própria vida, como se, ao falar 'eu não quero ter mais um segundo de vida se eu estiver mentindo', bastasse, fosse o suficiente para que a mais pura, nobre e verdadeira das verdades surgisse ali de forma divina.


Oleno e Danadão com a palavra
Aos deputados Brito Danadão e Oleno Matos, 'elogiados' na conversa da dupla de milagreiros, que afirma ser falsa e uma 'montagem grotesca', cabe aqui lembrar que, o mesmo Mecias de Jesus que 'não quer nenhum segundo a mais de vida' se estiver mentindo, é o mesmo que, na justiça federal jura de pés juntos e dedinhos entrelaçados que é inocente no caso gafanhotos, do qual ele e a mulher Darbilene Rufino, são réus.
É o mesmo Mecias que em 10 anos, desses, oito como presidente da ALE, multiplicou em mais de 20 vezes o seu patrimônio, e jura não querendo "mais um segundo de vida se estiver mentindo", se cometeu qualquer irregularidade que aumentasse o seu patrimônio. É o mesmo Mecias que, no segundo turno da eleição de 2014, pulou do barco de Chico Rodrigues, e foi para o de Neudo Campos, 'porque Anchieta ia coordenar a campanha do então governador'. Oleno e Danadão, acraditaram nessa justificativa de bulada de barco


Conhece bem
Oleno, que já foi da cozinha de Mecias, sabe bem como a dupla conversa, tira sarro, critica e comenta sobre as coisas da vida.


Mecias afirma que pode fazer montagens
Na tal conversa chorosa de pedido de perdão e juras pela própria vida, Mecias de Jesus afirma categoricamente que pode fazer montagens de tudo quando é tipo de conversa no WhatsApp.
Para informação do amigo leitor, mudar em minutos o visual de conversas no aparelho celular com atualização ou mudanças de programas, ou simplesmente trocar por outro celular com formatação diferente das supostas conversas, são possíveis. 


Faltou às aulas
Por isso, há quem não acredite na dupla, pois isso seria possível de ocorrer, ou seja, um deles mudar de celular para mostrar que não foi dali que saiu a tal falsa conversa.
Então, é bom Jota Jackson, que faltou às aulas de formulação de processos judiciais, primeiro provar que não falou o que falou na tal falsa conversa com o amigo Mecias para depois processar quem ele, de fato pode provar que cometeu algum crime, pois quem poderá sair atolado até a cabeça de ações judiciais será o próprio Jota Jackson por difamação e falsa acusação.


Ameaça geral
Raivoso e ameaçador, Jota R Jackson, saiu publicando que vai processar todo mundo que recebeu, que viu, que comentou, que repassou e que riu das suas 'conversas falsas' como se, o fato de alguém passar para outro o que está circulando nas redes ou grupos fosse crime, não fosse amparado pela liberdade de informação e expressão, e sim ato criminoso. 


Não basta rosnar, tem que provar
Primeiro, antes de tudo, embora Jota Jackson seja advogado, mas pode ter perdido as aulas de formação de processos judiciais, só se pode acusar alguém quando se tem provas, e a premissa de todas as provas nesse caso, é o próprio Jota Jackson provar que as tais conversas são falsas.
Não basta ele vir rosnando como cão raivoso ameaçador e o outro se ajoelhar pedir perdão pelo o que não fez e jurar pela própria vida, que não conversaram o que foi divulgado.


Emprestando cumplicidade
Na sexta-feira, por volta das 13 horas aqui em Brasília, o fotografo Ricardo Honorato, me ligou perguntando se eu sabia e tinha as tais 'conversas' da dupla milagreira, e se eu poderia lhe enviar as tais 'conversas'. 
Estranho, concorda, amigo leitor, alguém pedir de outro que mora a mais de três mil quilômetros de distância, cópias de supostas conversas que estavam bombando em tudo quando era grupo e principalmente entre colegas de imprensa, do qual Ricardo Honorato, circula, e ele vir pedir a alguém com quem raramente troca uma mensagem no Facebook, alguém que sequer ele tinha o WhatsApp?
Assim sendo, o pedido do solícito Ricardo Honorato não foi atendido.





Publicidade

Vídeos do Fonte

  • Sting e Wonder

  • New Age

  • Um ano

  • Marcelo Jeneci

  • Morte de jornalista

  • Quebra vidraças

  • Beatles

  • Morte do Cisne

  • Ana Botafogo 1

  • Ana Botafogo 2

  • Briga de irmãos

  • Light Years - Pearl Jam

© 1996-2013 www.fontebrasil.com.br - Todos os Direitos Reservados - A informação que forma a opinião